Netflix: Vale a pena ou não? (Primeiras impressões)

Fox Xavier | 14:49 | 82 comentários


Chegou ao Brasil o tão aguardado NetFlix, que nada mais é do que uma locadora de filmes, seriados e todo tipo de produção audiovisual em livestream, ou seja, o usuário não precisa mais gastar seu tempo com downloads. Não vou me estender muito no funcionamento da ferramenta, uma vez que o Tecnoblog publicou um ótimo post sobre esse assunto

A escolha de conteúdo on-demand não é uma novidade aqui no Brasil. Saraiva, Terra e NetMovies já trabalham com isso. A diferença do Netflix é sua parceria com grandes estúdios e a possibilidade de assistir o conteúdo do site no seu Playstation, por exemplo. O fato é que o usuário do serviço escolhe o que quer assistir e fecha a janela ao fim da exibição. Perfeito não?

Mas é claro que isso tem um custo, afinal de contas, estamos falando de estúdios que gastaram milhões para fazer suas produções e precisam encontrar saídas com a pirataria virtual. O Netflix chegou quase ao mesmo preço dos EUA, só R$ 15 são capazes de te fornecer acesso a um mundo de entretenimento.

Sei que o brasileiro ama a cultura do grátis defendida tão bem por Chris Anderson em seu livro “Free”, mas acontece que comparo o valor a taxa de conveniência que você paga para receber ingressos na sua casa. R$ 15 é uma quantia estúpida ao tempo que o #Netflix pode me economizar esperando um filme na Tv por assinatura, ao alugar um título em uma locadora (alguém aí ainda faz isso?), e principalmente, o serviço vai me poupar uma boa dor de cabeça na busca por Torrents verdadeiros ou links de séries válidos em blogs que amam usar aqueles protetores de links (malditos!).

Netflix: Tela de loading

Mas afinal de contas, essa joça é boa ou não é?

Um questionário é exibido ao concluir o cadastro. Nele, você deve preencher suas preferências, e assim, o sistema exibe uma lista de produções que agrade o internauta. Logo vai depender muito do que você espera assistir por lá.


Fãs da sétima arte podem ter uma decepção com o catálogo inicial. Faltam produções da Warner, blockbusters e filmes recentes. Os seriados não fogem dessa realidade, a oferta ainda é muito limitada. The Office, por exemplo, só tem os 5 primeiros episódios no site. Otakus costumam ser exigentes, mas eu encontrei Death Note completo, Capitan Tsubasa, Beyblade e a primeira temporada de Naruto, o que já me dá um mês de diversão garantida.

Death Note está disponível dublado e legendado no Netflix.
Os títulos estão em português, espanhol e inglês, mas fique calmo, já que há legendas para o português. Mesmo assim, isso demonstra que o serviço deve passar por um longo tempo para concluir sua migração. O conteúdo nacional é mínimo, a Band é a única emissora brasileira com no Netflix. A Rede Globo assinou um acordo, mas só disponibilizará conteúdo para os demais países da América Latina (vai entender).

A qualidade do vídeo segue sua conexão, mas você pode editar isso nas opções. Uma boa função, já que muitos têm limite de banda no Brasil.

Testei o serviço por algumas horas. Fiz pesquisas, assisti a um filme e alguns episódios de seriados, tudo com a mais absoluta praticidade. Ainda espero que a empresa apresente novidades nas próximas semanas, já que me questiono se vou passar a assinar o serviço ou não (o primeiro mês é gratuito e o cliente pode cancelar assim que achar conveniente).

Só depende do próprio Netflix para o serviço agradar o público brasileiro. Agora se a empresa conseguirá o feito de ser a primeira a popularizar esse serviço no país, aí é outra história...




Tags:: ,

82 comentários

Deixe sua opinião, ela é muito importante.Venha "pitacar" você também!